Novidades

Projeto Crer & Ser: Relatório de Atividades Ano 2015

Aos nossos visitantes internautas, colaboradores, simpatizantes, segue abaixo, o relatório de nossas atividades no Projeto Crer & Ser junto as famílias pobres do Loteamento Mestre Vitalino I, Alto do Moura, onde o Projeto acontece. Para você que nos tem acompanhado aqui no blog, o Projeto é uma presença amiga, ecumênica, solidária tendo como inspiração a prática de Jesus de Nazaré. Qualquer dúvida ou queira nos conhecer melhor, acesse o contato do blog. Ficaremos felizes por seu apreço.  

O “Projeto CRER & SER” está localizado no Loteamento Mestre Vitalino I, no Alto do Moura, Caruaru, agreste de Pernambuco.

Teve início em março de 2014 e funciona na “CASA ECUMÊNICA”, como uma grande rede solidária de Igrejas Cristãs (Episcopal Anglicana do Brasil, Católica Romana-Área Pastoral do Alto do Moura, Batista de Coqueiral-Recife, Betesda-Caruaru), CEBI-Agreste, Associação de Artesãos e Artesãs em Barro e Moradores(as) do Alto do Moura (ABMAM), pessoas voluntárias, estabelecimentos do comércio local e pessoas amigas e familiares que colaboram com alguma contribuição financeira. Trabalha em articulação com o CRAS, as escolas públicas da localidade, o Conselho Tutelar, o Ministério Público e outras instituições.

Nosso público alvo são crianças e suas mães, na sua maioria, em situação de pobreza, que sobrevivem economicamente do Programa Bolsa Família, da pintura e confecção de pequenas peças em barro. Os homens, da família, comumente “se viram” com biscates, tal como o serviço de ajudante de pedreiro ou outras tarefas eventuais.

Ao longo deste ano, atendemos 35 (trinta e cinco) crianças na faixa etária entre 07 (sete) e 15 (quinze) anos, em diversas atividades conforme passamos a enumerar.

Todas as terças, quartas e quintas-feiras, à tarde, realizamos com 15 crianças na faixa etária de 07 (sete) a 08 (oito) anos uma proposta chamada de “aprendizado lúdico”, que tem o objetivo de proporcionar um espaço diferente de aprendizagem, no qual se conjugam leitura, contação de estórias, brincadeiras dirigidas, quebra-cabeça, oficinas de trabalho em barro e brinquedoteca.

Nas mesmas tardes, para crianças na faixa de 09 (nove) a 10 (dez) anos, foi proporcionado reforço escolar, como complementação de atividades escolares. Investiu-se também em exercícios de leitura em grupo e individual, com a devida interpretação, jogos de memória, jogo de dominó como instrumento de fixação das 04 (quatro) operações matemáticas, quebra-cabeça, e outras atividades recreativas dirigidas. De 11 (onze) a 15 (quinze) anos as crianças frequentam Capoeira e percussão, conforme sua escolha.

Percebemos grande interesse das crianças em participar dessas atividades e vimos com alegria seu desenvolvimento na aprendizagem e em vários aspectos de sua personalidade. Não foi raro escutar delas expressões como: “Eu agora já sei fazer meu nome”, ou “eu aprendi a ler aqui”…

Todas as sextas-feiras, no primeiro horário, tivemos aulas de percussão, dirigidas por um músico muito capaz e bastante conhecido na cidade por suas apresentações em público. Lamentavelmente, são poucas as crianças que se encantam com música e se entregam ao paciente exercício de aprendizagem dessa arte. No pequeno grupo, porém, é visível o desenvolvimento. No segundo horário, foram realizadas aulas de Capoeira e o interesse tem sido surpreendentemente grande, atraindo outras crianças e adolescentes do bairro. Nas aulas, o professor procura transmitir, além da expressão corporal própria da arte, valores comportamentais, tais como, não violência, respeito ao próximo, recusa das drogas, solidariedade, gosto pelos estudos, etc.

Toda vez que temos atividades coletivas, de terça a sexta-feira, em cada encontro é servido um lanche que nos é possibilitado pela generosa colaboração de “Padaria Du Pão”, “Quitanda Havaí”, “Fábrica de Biscoitos Matinal” (Bezerros), família Bartolomeu e Jacira Melo (Recife), Mercadinho Esperança”, Fábrica de “Pipocas Caruaru”, “Delícia-Refeições” (Org. Cida), banca de um casal de religião judaica (Sr. Moxé e Sra. Rívika), bolo semanal confeccionado por uma voluntária (Nalvinha); também se promove breve momento devocional, com o intuito de introduzir as crianças na experiência da oração e nos valores cristãos.

A cada quinze dias, temos, durante a tarde, um encontro de Educação Cristã, não no estilo de “catequese”, mas, de forma ecumênica, centrando a atenção na pessoa de Jesus, em Sua história e nos valores de vida por Ele propostos. Isto foi iniciado sistematicamente este ano, no segundo semestre. Pensamos no próximo ano, sistematizar melhor o processo. Por ocasião da celebração da Páscoa, tivemos a encenação do Lava-Pés e da Última Ceia, com as crianças maiores lavando-se mutuamente os pés e o bispo Dom Sebastião lavando os pés das menores. Quisemos ressaltar com isso dois pontos centrais da mensagem de Jesus: o mútuo serviço e a partilha dos bens, ou seja, nos dois casos o tema da ajuda mútua, da solidariedade. Agora, por ocasião da proximidade do Natal, foi trabalhado o verdadeiro sentido do Natal, e um grupo delas se juntou às crianças da catequese da Comunidade São Francisco, comunidade católica no Loteamento, e participou do coral com canções natalinas. Mencionamos também que, durante o segundo semestre, um bom grupo de crianças do Projeto participou das “Olimpíadas da Paz” em conjunto com crianças da Comunidade São Francisco, promotora da atividade.

Além da comemoração dessas datas cristãs, foram comemoradas com grande alegria a festa de São João, marco na vida da sociedade de Caruaru,  o Dia da Criança e  o Dia das Mães.

Com o intuito de trabalhar o respeito pelo planeta e o meio ambiente e favorecer o lazer das crianças e de suas mães, as quais têm assim oportunidade de “sair” por um tempo dos afazeres domésticos e conhecer outras realidades, temos promovido em cada semestre passeios ecológicos, este ano foram três passeios em parques da cidade, no Parque Municipal Severino Montenegro, no Parque Municipal São Francisco e na sede do SESC-Caruaru. Neste período de Natal, as crianças foram convidadas a participar de uma tarde de brincadeiras, presentes e lanche, com direito a Papai Noel, palhaço e números de mágica, no pátio externo da Fábrica JODARC, no Distrito Industrial, tendo sido recebidas com muito carinho pelos proprietários e funcionários. No encerramento das atividades deste ano, em tarde festiva, tivemos a visita do Pastor da Igreja Betesda-Caruaru, Pastor Oséias Lima, que trazia às crianças a expressão do carinho daquela comunidade: cada família adotara uma das crianças, e enviou um presente dirigido a cada criança pelo nome.

Realizamos reuniões mensais com as mães, com o objetivo de dialogar sobre a educação das crianças, eventuais dificuldades e problemas. Nesse espaço de diálogo, é possível incentivar a autoestima, valorização do ser mulher, aspectos de higiene, a importância de certas atitudes pedagógicas em casa, como evitar gestos de violência, como impor limites às crianças, como iniciar desde cedo o diálogo entre pais e filhos(as). Significativo foi cada mãe confeccionar um porta-retrato artesanal com a fotografia da criança, tirada voluntariamente por um fotógrafo profissional, Sr. Geison Lins, morador do bairro, como lembrança do Dia da Criança. Algumas dessas reuniões tiveram o acompanhamento de Psicóloga. Temos insistido muito na responsabilidade solidária, expressa na cooperação com o Projeto, uma vez que o objetivo é, em conjunto, trabalhar na educação das crianças. Também temos cuidado de promover o acesso aos serviços públicos e de discutir a delicada questão da violência contra a mulher, inclusive doméstica (Escola, CRAS, Conselho Tutelar, Posto de Saúde, etc). Com a assessoria de uma psicóloga, tivemos algumas sessões de dinâmicas de grupo e atividades corporais.

Objetivando atender necessidades da comunidade, cujos serviços públicos ainda são deficientes ou mesmo precários, realizou-se uma jornada de ações de saúde e higiene sob a responsabilidade do grupo “Amor e Doação”, da Catedral Anglicana da Santíssima Trindade, do Recife, com a presença de mais de 30 (trinta) pessoas voluntárias. Entre essas estavam médicos, dentistas, assistentes sociais e jovens recreadores(as). Houve palestras sobre saúde sexual, controle de natalidade, saúde bucal, além de atendimento odontológico. A recreação com pintura com as crianças e jogos e brincadeiras externas trabalharam o tema “Paz em casa – uma família sem violência”. Na ocasião foram doados vários produtos de higiene bucal, além de gêneros de primeira necessidade e itens para o bazar que se promove periodicamente. A outra ação desse mesmo grupo da Catedral Anglicana se deu na semana do Dia da Criança, com apresentação de teatro educativo, momento de louvor a Deus pelo dom da vida, brincadeiras, lanche coletivo e doação de presentes, tudo no espaço do Clube do Artesão(ã), posto à disposição pela ABMAM. No ano passado, a festa do Dia da Criança tinha sido promovida pela comunidade da Igreja Betesda, com a colaboração sobretudo de jovens que tudo animaram com música, cantoria, presentes e guloseimas.

Durante todo o ano, foram realizadas visitas domiciliares às famílias com crianças no Projeto objetivando maior integração e apoio, observação e estudo da situação familiar, inclusive com o acompanhamento do responsável pela inscrição no Programa da Casa Própria, da Prefeitura de Caruaru, visando a inscrever famílias em situação de vulnerabilidade social que moram em péssimas condições. Também entramos em contacto com a coordenação do Movimento de Trabalhadores(as) Sem Teto, com o mesmo objetivo.

Com as mães das crianças foi feita uma parceria para que assumissem semanalmente a limpeza do espaço onde funciona o Projeto, assim como auxiliar na distribuição do lanche uma vez que não temos funcionários pagos. Observamos que algumas mães chegaram a assumir com muito prazer o compromisso, enquanto outras até o momento têm dificuldade de compreender que se trata de trabalhar em conjunto em benefício delas e de suas próprias crianças. Ainda não percebem que a sede do Projeto é tida pelas crianças e algumas mães como sua “segunda casa”, a qual tem de ser assumida em conjunto por todos e todas nós.

Para resolver o sério problema de crianças fora da escola, entramos em contacto com o Conselho Tutelar e visitamos as escolas “Mestre Vitalino” e “Anunciata Rodrigues” para matricular três crianças em idade escolar.

Visando a resolver problemas ainda existentes no bairro, como falta d’água, creche, luz nas ruas, esgotamento sanitário, junto com a Associação ABMAM, a Comunidade São Francisco (Católica Romana) e moradores(as), participamos de várias audiências no Ministério Público de Caruaru e algumas soluções já se acham com planejamento em andamento. Lamentável é o ritmo lento com que essas questões caminham até serem equacionadas.

Tivemos uma ação efetiva na ocupação denominada “Leblon”, no antigo matadouro, onde se abrigam em condição de miserabilidade sete famílias originárias da zona rural. Encaminhamos algumas mulheres alcoólatras ao “Programa Atitude”. Denunciamos outros casos ao CRAS e ao CREAS-Caruaru e várias vezes foi preciso doar caminhões-pipa para fornecimento de água, sem falar do fornecimento de cestas básicas, de roupa e produtos de limpeza e higiene pessoal, porque as famílias estavam (e continuam a viver) em estado de calamidade.

Para auxiliar as famílias das crianças participantes do Projeto, foram oferecidas eventualmente cestas básicas ou produtos avulsos, doados por Igrejas parceiras e também realizamos quatro bazares com roupas, calçados, brinquedos, etc, tudo a preço de R$ 1,00, evitando entrega gratuita para assim fomentar o senso de dignidade.

Houve participação da equipe em várias conferências para atualização e conhecimento das políticas públicas em defesa das crianças e mulheres; de enfrentamento do trabalho infantil, assim como da prostituição e violência infantil. Estivemos presentes também na Pre- Conferência da Assistência Social.

Tivemos parceria com o CEPA – Centro de Educação Popular Assunção, que nos cede uma estagiária de Pedagogia e uma psicóloga. Assumiu também, em sua oficina técnica, a tarefa de recuperar quatro computadores usados que nos foram doados para uso das crianças. Além disso, tem-nos doado gêneros alimentícios advindos do banco de alimentos do SESC.

Durante o ano, realizamos todos os meses e quando necessário reuniões com a equipe de 09 (nove) voluntárias e outros(as) profissionais que prestam serviço no Projeto, para avaliação e desenvolvimento das ações planejadas. As voluntárias têm dado bonitos testemunhos de como o Projeto lhes tem feito bem. Para algumas, a convivência e a atividade contribuíram para superar estado de depressão e recuperar alegria e iniciativa. Uma observação bastante comum é que “viemos ajudar e a gente é que se sente ajudada”. Uma delas, declarou que a presença no Projeto a estimulou a retomar os estudos, agora na universidade, na área de Pedagogia e como estagiária no Projeto.

O “Projeto Crer & Ser” conta com o trabalho da seguinte equipe:

Dom Sebastião Armando Gameleira Soares, Bispo Emérito da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, incentivador e supervisor de Educação Cristã

Maria Madalena Fonseca Soares, Assistente Social, Coordenadora Administrativa

Ir. Juceli Carneiro, Pedagoga, Coordenadora Pedagógica, das Irmãs da Assunção

Ir. Olga Oliveira, cooperadora de ação com as mães, das Irmãs da Assunção

Ângela Patrícia, professora de Educação Cristã

Tarciana Barbalho, Psicóloga (CEPA)

Maria Aparecida (Tida) estagiária de Pedagogia (CEPA)

Meirielle Lins, assessora de Artes Plásticas

Maria do Carmo Siqueira, apoio

Marli Alves Menino, apoio

José Carlos Lira  (Carlinhos), professor de percussão

Weskley Domingos, professor de Capoeira

Ednalva do Vale (Nalvinha), artesã, apoio

Ana Paula Almeida, apoio

E mais outros artistas e profissionais, eventuais voluntários.

Concluímos agradecendo a Deus tantas realizações com tão poucos recursos financeiros e em tão pouco tempo, com tão grandiosa rede de amor e solidariedade espalhada em tantos espaços diferentes: Igrejas irmãs, comércio local do Alto do Moura, pessoas amigas e familiares comprometidas com os valores do Reino de Deus, Associação de Artesãos e Artesãs em Barro e Moradores(as) do Alto do Moura-ABMAM, CEBI regional e local.

Alto do Moura, Caruaru-Pe,

15 de Dezembro de 2015

 

  * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * * *

Fotos por ocasião das festas natalinas – 2015:

About Sebastião Armando (176 Articles)
<p>Nascido em São Miguel dos Campos, Alagoas, de família cristã, terceiro de cinco filhos, Dom Sebastião Armando Gameleira Soares fez seus estudos secundários no Seminário Metropolitano de Maceió e estudos de Filosofia no Seminário de Olinda, Pernambuco. Obteve o bacharelado e o mestrado em Teologia na Universidade Gregoriana, de Roma, com dissertação sobre Santo Anselmo, Arcebispo de Cantuária. Obteve também o mestrado em Ciências Bíblicas, no Instituto Bíblico, de Roma, com dissertações sobre o Livro dos Salmos e o Livro de Isaías, e o mestrado em Filosofia na Universidade Lateranense, de Roma, com dissertação sobre a obra do filósofo brasileiro Henrique de Lima Vaz. Ainda em Roma, fez Especialização em Sociologia, na Universidade dos Estudos Sociais, com trabalho sobre a obra de Gilber<br /> to Freyre. É também bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Olinda.No Nordeste, por vários anos, foi professor do Instituto de Teologia do Recife-ITER, do qual foi também Diretor de Estudos. Foi assessor membro da equipe do Departamento de Pesquisa e Assessoria-DEPA para formação teológica. Foi assessor da CNBB e da CRB do Nordeste II. É membro do Centro de Estudos Bíblicos-CEBI, do qual foi diretor nacional e coordenador do Programa de Formação. Foi ordenado presbítero na Comunhão Anglicana em 1997, já sendo professor e reitor do Seminário Anglicano no Recife. Em 1998 participou da Conferência de Lambeth, encontro mundial do episcopado anglicano, em Cantuária, na Inglaterra, como membro da equipe de assessoria no tema “Evangelização”, convidado pelo Arcebispo de Cantuária, por indicação dos Bispos do Brasil. Foi eleito bispo no ano 2000 para a Diocese Anglicana de Pelotas-RS, e em 2006 eleito para a Diocese Anglicana do Recife (Região Nordeste). Em 2008, voltou a participar da Conferência de Lambeth, dessa vez já como bispo. Tornou-se emérito em dezembro de 2013. É casado há 42 anos com Maria Madalena, também alagoana. assistente social, com quem tem três filhas e um filho. Hoje se dedica particularmente ao Ministério da Palavra (estudos bíblicos e teológicos, em especial Leitura Popular da Bíblia, Anglicanismo, Escolas de Fé e Política, e Espiritualidade) em fronteira ecumênica, e junto com Madalena coordena um projeto social (“Casa Ecumênica – Crer & Ser”) com crianças e suas famílias, no Alto do Moura, em Caruaru-Pernambuco, Brasil.</p>