Novidades

O Beijo da Terra e do Sol nas Terras do Araguaia

por_sol

Já não achando mata
pra se esconder
e abrigar-se na noite
mergulhava
sua bola luminosa
nas águas do rio.

(No começo duvidei
se era mesmo água ou
se a camada branca
de nuvens mais baixas,
mais adiante era claro:)

Era o rio (qual deles?)
Largo como mar
corria
no sentido do comprimento
que o mar corre
no sentido da largura
a espalhar-se para os lados
Ilhotas de vegetação
plantadas no meio das águas.

O vermelho e o amarelo
alaranjado, largos
se espalhavam
para os lados
a derramar-se
na paisagem de fundo
levemente verde escuro.

De repente
um vermelho de fogo
a incendiar
o que restava de mata
(como se não bastassem
todas as queimadas
que devastam a floresta).

Felizmente
durou pouco
não passou
de repentino e ardente
beijo do sol
abraçado
com este mundo aqui de baixo.

(O cair da tarde
pode até ser melancólico
mas é sempre inspirador
para o amor e
parece que o sol e a terra
também devem senti-lo
ao recolher-se para a noite).

De repente
o rubro
em rosa suavizou-se
e a paisagem toda
sugeria doçura
o mundo marcado
por alegria tranqüila
o céu a anunciar
que a noite
não vinha para assustar.

As nuvens brincavam
deformar figuras
de coisas e de bichos:
debaixo de enorme plataforma
imenso jacaré
em dimensões de dinossauro
suspenso no espaço;
mais atrás
animal ainda maior
dianteiras fincadas
no chão do céu
preparava-se a saltar
como para dar o bote;
mais além
novo jacaré
desta vez monstruoso
cabeça nas nuvens e
corpo projetando-se mata a dentro;
finalmente
outra plataforma
a base nas nuvens
densamente unidas
co’a mata
se projetava no céu
cada vez mais fina
com aquela coragem arriscada
das obras de arquitetura
de Niemeyer.

(E eu fiquei desejando voltar
a ser criança
para descobrir no céu
muitas figuras de coisas e de bichos…).

Só o claro do rio
se recusava
a acolher a escuridão
o espelho d’água
insistindo até o último minuto
em manter-se
cor de rosa
mas a noite
lenta, sem alarde,
silenciosamente
feito denso véu
implacável
baixava.

Dom Sebastião Armando
De volta da Prelazia de São Félix do Araguaia
12 de Julho de 2015

About Sebastião Armando (170 Articles)
Nascido em São Miguel dos Campos, Alagoas, de família cristã, terceiro de cinco filhos, Dom Sebastião Armando Gameleira Soares fez seus estudos secundários no Seminário Metropolitano de Maceió e estudos de Filosofia no Seminário de Olinda, Pernambuco. Obteve o bacharelado e o mestrado em Teologia na Universidade Gregoriana, de Roma, com dissertação sobre Santo Anselmo, Arcebispo de Cantuária. Obteve também o mestrado em Ciências Bíblicas, no Instituto Bíblico, de Roma, com dissertações sobre o Livro dos Salmos e o Livro de Isaías, e o mestrado em Filosofia na Universidade Lateranense, de Roma, com dissertação sobre a obra do filósofo brasileiro Henrique de Lima Vaz. Ainda em Roma, fez Especialização em Sociologia, na Universidade dos Estudos Sociais, com trabalho sobre a obra de Gilber to Freyre. É também bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Olinda.No Nordeste, por vários anos, foi professor do Instituto de Teologia do Recife-ITER, do qual foi também Diretor de Estudos. Foi assessor membro da equipe do Departamento de Pesquisa e Assessoria-DEPA para formação teológica. Foi assessor da CNBB e da CRB do Nordeste II. É membro do Centro de Estudos Bíblicos-CEBI, do qual foi diretor nacional e coordenador do Programa de Formação. Foi ordenado presbítero na Comunhão Anglicana em 1997, já sendo professor e reitor do Seminário Anglicano no Recife. Em 1998 participou da Conferência de Lambeth, encontro mundial do episcopado anglicano, em Cantuária, na Inglaterra, como membro da equipe de assessoria no tema "Evangelização", convidado pelo Arcebispo de Cantuária, por indicação dos Bispos do Brasil. Foi eleito bispo no ano 2000 para a Diocese Anglicana de Pelotas-RS, e em 2006 eleito para a Diocese Anglicana do Recife (Região Nordeste). Em 2008, voltou a participar da Conferência de Lambeth, dessa vez já como bispo. Tornou-se emérito em dezembro de 2013. É casado há 42 anos com Maria Madalena, também alagoana. assistente social, com quem tem três filhas e um filho. Hoje se dedica particularmente ao Ministério da Palavra (estudos bíblicos e teológicos, em especial Leitura Popular da Bíblia, Anglicanismo, Escolas de Fé e Política, e Espiritualidade) em fronteira ecumênica, e junto com Madalena coordena um projeto social ("Casa Ecumênica - Crer & Ser") com crianças e suas famílias, no Alto do Moura, em Caruaru-Pernambuco, Brasil.