Novidades

Não há dois amores

Não há dois amores

enamoradosUm escriba perguntou a Jesus qual era o primeiro de todos os mandamentos. Jesus respondeu, indo além da pergunta, lembrando o primeiro e o segundo que não interessara o doutor da Lei. Com isso deu-lhe a chance de reunir os dois mandamentos num só, mostrando ter percebido a insinuação de Jesus (cf. Mc 12, 28-34).

Uma vez, no salão paroquial de uma igreja anglicana da cidade de Oporto, em Portugal, Madalena e eu vimos uma síntese perfeita do que pretendeu Jesus do escriba. Assim estava num quadro que pendia de uma parede, bem no centro do espaço: “Há muitas maneiras de amar o próximo, mas só há uma maneira de amar a Deus, amando o próximo”. É que não são dois amores em alternativa . Não há mandamentos referentes a Deus e outros referentes ao próximo. Não. Na estrutura do texto dos mandamentos na Bíblia, tanto no livro de Êxodo (cf. 20, 1-17), como no  Deuteronômio (cf. 5, 1-21), na primeira tábua de preceitos, Deus é encarado com o fundamento invisível dos preceitos da segunda tábua que se referem ao próximo. Deus não é objeto, mas fundamento. Sobre esse fundamento invisível,  constroem-se relações visíveis entre nós. É único, por isso temos de nos comportar como um só povo; não podemos reduzí-Lo a ídolo, pois este é projeção de nosso próprio poder, por isso fonte de discórdia e de divisão; não podemos manipular seu Nome como se fosse objeto a nosso serviço, como se fosse ídolo “vão”, isto é, vazio, expressão de nossas carências; reservar o “dia de descanso” (“sábado”) tem como finalidade celebrar nossa liberdade acima das obras do trabalho de nossas mãos e confraternizar em solidariedade e igualdade como povo, este o verdadeiro sentido do culto. Sobre esse alicerce é que se explicitam as relações entre nós.

Na primeira Carta de São João, temos a síntese cabal: “Se nos amarmos uns aos outros, Deus permanece em nós” (4, 12).

Eu em Ti e Tu em mim

(“Quem permanece no amor, permanece em Deus e Deus permanece nele” – 1Jo 4, 16)

Revela-Te a mim:
que eu Te veja
em todas as coisas
que eu Te toque
em todas as pessoas
que em tudo
eu Te encontre!

Ah, acima de tudo
que eu Te sinta
na mulher que amo!
Preenche-me
de Tua plenitude!

Como enamorados
um por outro
inabitados
mostra-Te todo
a mim todo
desnudados
eu me entregue a Ti
entrelaçados
achega-Te a mim
entre gemidos de Cruz
e gritos de Exaltação
preenche-me
como em divino êxtase
de orgasmo pleno
sem fim!

Dom Sebastião Armando

Para Madalena, Campina Grande, 29/30.08. 2016

About Sebastião Armando (176 Articles)
<p>Nascido em São Miguel dos Campos, Alagoas, de família cristã, terceiro de cinco filhos, Dom Sebastião Armando Gameleira Soares fez seus estudos secundários no Seminário Metropolitano de Maceió e estudos de Filosofia no Seminário de Olinda, Pernambuco. Obteve o bacharelado e o mestrado em Teologia na Universidade Gregoriana, de Roma, com dissertação sobre Santo Anselmo, Arcebispo de Cantuária. Obteve também o mestrado em Ciências Bíblicas, no Instituto Bíblico, de Roma, com dissertações sobre o Livro dos Salmos e o Livro de Isaías, e o mestrado em Filosofia na Universidade Lateranense, de Roma, com dissertação sobre a obra do filósofo brasileiro Henrique de Lima Vaz. Ainda em Roma, fez Especialização em Sociologia, na Universidade dos Estudos Sociais, com trabalho sobre a obra de Gilber<br /> to Freyre. É também bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Olinda.No Nordeste, por vários anos, foi professor do Instituto de Teologia do Recife-ITER, do qual foi também Diretor de Estudos. Foi assessor membro da equipe do Departamento de Pesquisa e Assessoria-DEPA para formação teológica. Foi assessor da CNBB e da CRB do Nordeste II. É membro do Centro de Estudos Bíblicos-CEBI, do qual foi diretor nacional e coordenador do Programa de Formação. Foi ordenado presbítero na Comunhão Anglicana em 1997, já sendo professor e reitor do Seminário Anglicano no Recife. Em 1998 participou da Conferência de Lambeth, encontro mundial do episcopado anglicano, em Cantuária, na Inglaterra, como membro da equipe de assessoria no tema “Evangelização”, convidado pelo Arcebispo de Cantuária, por indicação dos Bispos do Brasil. Foi eleito bispo no ano 2000 para a Diocese Anglicana de Pelotas-RS, e em 2006 eleito para a Diocese Anglicana do Recife (Região Nordeste). Em 2008, voltou a participar da Conferência de Lambeth, dessa vez já como bispo. Tornou-se emérito em dezembro de 2013. É casado há 42 anos com Maria Madalena, também alagoana. assistente social, com quem tem três filhas e um filho. Hoje se dedica particularmente ao Ministério da Palavra (estudos bíblicos e teológicos, em especial Leitura Popular da Bíblia, Anglicanismo, Escolas de Fé e Política, e Espiritualidade) em fronteira ecumênica, e junto com Madalena coordena um projeto social (“Casa Ecumênica – Crer & Ser”) com crianças e suas famílias, no Alto do Moura, em Caruaru-Pernambuco, Brasil.</p>