Novidades

Quase-Poemas

O Justo se eleva como a Palmeira

21/06/2017

O Justo se eleva como a Palmeira (A Carlos Mesters, Mestre de todos e todas nós)   Quando Carlos fez sessenta anos, reunimo-nos em São Paulo para festejar. As pessoas presentes éramos bispos, pastoras, pastores, freiras, padres, frades, mulheres e homens do laicato de Igrejas várias… [Continue lendo]

Mistério

24/05/2017

  Mistério (Para Madalena, olho d’água a brotar em tantos campos da Terra, fonte fecunda, geradora de nossa família) … mistérios da Terra e da Mulher… deixar-se escavar até regiões subterrâneas cavernas escuras profundas passagens a territórios desconhecidos infinitos de [Continue lendo]

Eu venci o Mundo

03/05/2017

“Eu venci o mundo” sem armas, nem batalhas carros de guerra inúteis ao fogo jogados no lamaçal atolados vitória sem gritaria fogo que ilumina incendeia “não se apagam mechas que ainda fumegam” luta sem cessar barco em meio às ondas espada e divisão vitória sem pregão Palavra sobre o [Continue lendo]

Na Fronteira

11/01/2017

Na Fronteira   Nossa geração é chamada a viver na fronteira a pisar o limite, lá onde empenho toca desempenho o agir, o niilismo a esperança a redimir cada dia o desespero. Vigor e a impaciência de juventude convocam, gritam a tornar fortes, invencíveis a paciência e a força de [Continue lendo]

Flores de Advento

14/12/2016

Flores de Advento Apesar do Advento em desuso quase solitárias por ruas e praças flores insistem em vestir-se de roxo. Teimosas persistem — inusitada ousadia – fora de moda em desesperada espera a espalhar-se ao vento. Quem sabe, um dia perseverantes sementes em flores renasçam… [Continue lendo]

Desode

16/11/2016

Desode (Ode triste) Daniel Lima (personalidade genial, padre, poeta e professor de Filosofia) Não sou do Clube dos Gatunos Oficiais. Falta-me ainda o essencial descaro,                          a cínica retórica, o cinismo e a [Continue lendo]

A Grande Confiança

14/10/2016

A Grande Confiança … e tudo parece tão absurdo e nossas possibilidades tão minúsculas que semelhamos a vermes desgraçados no escuro de sombras da própria impotência. E nos arrastamos porque “navegar é preciso” mas tudo parece tão inútil achamo-nos diante ou mesmo no seio do que [Continue lendo]

O brilho da lama

05/10/2016

… e as pontes e a água preta quase parada e os tons virando cinza do pôr de sol e a lama preta, bem preta lustrosa quase brilhando nos reflexos da última luz – até a lama fica bonita ao virar paisagem a olhar! E a lama brilha e já não se sabe se brilha ao subir pelas pernas, descer [Continue lendo]

Casamento

23/09/2016

(Em 25 de Janeiro de 1975, no final da celebração da Eucaristia em que se deu nosso casamento, dirigi a palavra às pessoas convidadas e, após agradecer sua presença e carinho, esclareci em meu nome e no de Madalena como pensávamos o sentido de nosso casamento, terminando com as seguintes [Continue lendo]

Êxodo

14/09/2016

Estive lendo um livro sobre Lutero. Fiquei muito tocado pela seguinte interrogação: “A Escritura não é aquela sarça ardente da qual o ser humano não deve se aproximar, sob pena de dever tomar o caminho do Êxodo? E aonde você vai debaixo do céu?” O povo grego falava de navegar… [Continue lendo]

Não há dois amores

31/08/2016

Não há dois amores Um escriba perguntou a Jesus qual era o primeiro de todos os mandamentos. Jesus respondeu, indo além da pergunta, lembrando o primeiro e o segundo que não interessara o doutor da Lei. Com isso deu-lhe a chance de reunir os dois mandamentos num só, mostrando ter percebido a [Continue lendo]

Por entre rochedos

24/08/2016

Por entre rochedos (cf. Sl 42, 8-11) Dedicado à “Fraternidade do Discípulo Amado”, da Serra do Catita, Colônia de Leopoldina, AL Do alto da serra rolam imensos flocos de algodão imóveis imaculados ainda mais brancos pelo esplendor do brilho do sol a derramar-se sobre o “véu da noiva” [Continue lendo]

Romaria de Mártires da Caminhada

17/08/2016

HINO DO RIBEIRÃO BONITO E REDONDEZAS Ribeirão Bonito, Cruz do Padre João, alta Cascalheira, gentes do Sertão O suor e o sangue fecundando o chão. Mãe Aparecida, o profeta João, Terra da Esperança, povo em mutirão, Igreja dos Pobres em Libertação. 1. Os índios pais banhavam sua vida nas [Continue lendo]

Temer

15/06/2016

O vice-presidente Michel Temer (Imagem: Murillo Constantino) Temer Símbolo expressivo nome emblema nestes “tristes trópicos” de quinhentos anos de temer de não ter de sofrer de morrer. Com densas nuvens no horizonte muito têm de novo os pobres o que temer: onde pôr o acento na primeira ou [Continue lendo]

“Eu sou o Caminho”

18/05/2016

“Eu sou o Caminho”   Moisés perguntara pelo Nome o Mistério se escondia na espada de fogo… “EU SOU”, aí estou, contigo para ser experimentado, sentido quando a vida acontece conhecer é impossível.   Deus não se mostra só transparece disfarça-se no fosco espelho deste [Continue lendo]

Lição da Flor

11/05/2016

Lição da Flor Oh, quanta ilusão de seres para ti! Vês o sorriso das flores? Olha atentamente cuidadosamente a flor aberta toda só para ti! Buscas-lhe o centro o que guarda para si? Vê que nada contém nada retém, só se oferece. Aprende com ela: ser para si é ser toda só para ti… [Continue lendo]

Nova Criação

04/05/2016

Nova Criação (Dedicado a Madalena, namorada há 41 anos, no correr do mês de seu aniversário) Aqui tudo se sustém em silêncio universal só passarinhos, os sapos e as cigarras têm voz só os vagalumes, brilho. É a água, a que fala mais alto, querendo ser sempre igual: luminosa, corrente, [Continue lendo]

“Nas mãos do oleiro” (Jr 18, 6)

09/12/2015

  A amigas e amigos do Alto do Moura, Caruaru, Pe., artesãs e artesãos do barro, muito perto do ofício e arte de Deus   Formar-se biblista: argila nas mãos do Deus vivo deixar-se moldar em silêncio assentar-se aos pés do Mestre (cf. Lc 10, 39) (não há docente) só ouvinte da PALAVRA [Continue lendo]

Travessia

14/10/2015

Com espanto vi um homem a correr desesperadamente olhos esbugalhados dum lado a outro… qual guerreiro pronto a atacar ou ligeiro a defender-se, urgência de vida ou de morte? Não, absurdamente, só para atravessar a avenida. Vale a pena tanta pressa tanta energia e risco em vida tão curta [Continue lendo]
1 2